Há mais de duas décadas com a desmistificação da homossexualidade como doença, os mitos e os preconceitos ao indivíduo homossexual ainda perduram. Hoje a homossexualidade ainda agride e assusta nossa estrutura social tão confusa, de valores culturais e sexuais, dificultando o caminho para satisfação e saúde sexual. Este tema foi escolhido ao considerar a importância de studos esclarecedores sobre a homossexualidade enfatizando a relação do indivíduo homossexual e seus parentais. Desta maneira, pretendeu-se esclarecer se o apoio parental é de fato um fator diferencial para a melhoria das relações entre parentais e o individuo homossexual. Para isso, foram analisados dois tipos de grupos: um grupo de homossexuais, cujos pais apóiam a sexualidade homossexual e outro grupo, cujos pais aceitam essa condição. Os participantes foram homossexuais do sexo feminino de uma Organização homossexual, de uma cidade do interior do Estado de São Paulo, com idade entre 18 e 50 anos, com diferentes níveis escolares, que atuam em diversas profissões. Todos os participantes responderam a uma entrevista semi-estruturada com 10 questões, em encontros individuais na própria instituição, onde era esclarecido o objetivo da pesquisa e assinado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Cada entrevista durou em média uma hora e trinta minutos, gravadas em áudio; transcritas e analisadas qualitativamente em duas categorias estabelecidas à priori: pais que apóiam a sexualidade homossexual e pais que a aceitam. Durante a entrevista semi-estruturada foram relatados desde a descoberta do desejo homossexual dos participantes à aceitação deste, além disto, alguns fatores foram amplamente identificados como influentes nas categorias de apoio ou aceitação parentais, tais como: preconceito social, diálogo familiar, religião, falta de informação, aceitação do diferente. Evidenciou-se que a indiferença é um fator de desinteresse dos parentais frente ao filho homossexual, chegando anular sua opção sexual. Já, um alicerce emocional com afeto e cumplicidade estabelece o diálogo e emerge o apoio dos parentais. Isso contribui para a saúde sexual do indivíduo homossexual, uma vez que os pais não ignoram sua sexualidade e continuam a apoiá-los como filhos. Estas evidências indicaram que para um desenvolvimento familiar saudável a proposta adequada é a que contempla o diálogo, veiculando um espaço de construção de apoio e carinho na formação da identidade familiar, sendo responsabilidades dos parentais proporcionarem esta iniciativa para seus filhos homossexuais. Aponta-se ainda que a continuidade de estudos sobre a homossexualidade contribuiria para um maior esclarecimento do tema em nossa sociedade.

 

Título: Apoio parental: um fator relevante para a vida homossexual
Autores: Ítor Finotelli Jr.; João Serapião de Aguiar
Palavras-Chave: apoio parental; suporte social; homossexualidade; orientação sexual; familia
Categoria: Trabalhos publicados em eventos científicos

 

Referência: Finotelli Jr., I., & Aguiar, J. S. (2006). Apoio parental: um fator relevante para a vida homossexual. Trabalho apresentado no XIII Congresso Latino Americano de Sexologia e Educação Sexual. Anais XIII Congresso Latino Americano de Sexologia e Educação Sexual, Salvador, 9-9.


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017