Escala de Autoeficácia Sexual Feminina foi elaborada com base nos itens do questionário Escala de Autoeficácia Sexual – Função Erétil (SSES-E) e contém 28 afirmativas sobre o comportamento sexual. A escala utiliza medidas de autorrelato para sua mensuração e foi elaborada para uso clínico, especificamente para avaliação das disfunções sexuais femininas, podendo ser usada para compreensão cognitiva do funcionamento sexual feminino, evolução do tratamento e avaliação por pares (pela parceria) corroborando as respostas dadas pelo sujeito sobre sua autoeficácia sexual. Este estudo teve por objetivo traduzir, adaptar e avaliar o funcionamento da escala na versão espanhol. Participaram do estudo 20 mulheres que não apresentavam queixas sexuais, por amostra de conveniência de um clube social na cidade de Buenos Aires, com média de idade de 50 anos (DP=14,55; Min= 30 Max=70), das quais 65% eram casadas, 20% divorciadas, 10% solteiras e 5% viúvas. O grau de instrução dividiu-se igualmente entre as participantes em primeiro, segundo e nível superior completo. Para tradução e adaptação do instrumento, o método empregado foi tradução, retrotradução, análise de equivalência semântica e juízes independentes para confirmação do instrumento final. A análise descritiva apresentou a média do escore das mulheres em 57,75 (DP=19,09) sendo escore mínimo de 23,21 e máximo de 96,00. Ao verificar essa média por item verifica-se que a 60% deles encontram-se acima da média geral. A maior parte dos comportamentos foi assinalada como exequíveis em superioridade, correspondendo acima de 80% na amostra. Foi encontrada correlação negativa forte entre idade e autoeficácia sexual (r=-0,75 p=0,01). Por fim, a consistência interna, calculada por alfa de Cronbach demonstrou para escala total o coeficiente em 0,92. A partir das análises dos resultados observou-se que a média encontrada das respostas dos sujeitos, enquadra-se em pontuações médio-altas, esperadas para sujeitos não disfuncionais. Outro importante dado também esperado é a diminuição das pontuações nas mesmas proporções que a idade. A análise estatística apresentou excelente índice a respeito da sua consistência interna. Considera-se que o instrumento cumpriu com os requisitos deste estudo piloto (tradução, adaptação e aplicação); possibilitando a continuidade em populações diferentes e amostras mais significativas.

 

Título: Tradução, adaptação e evidências de validade da escala de autoeficácia sexual feminina para o espanhol

Autores: María del Carmen Rodolico; Ítor Finotelli Jr.; Oswaldo Martins Rodrigues Jr.
Palavras-Chave: disfunções sexuais; avaliação psicológica; instrumentos de medida; autoeficácia sexual; sexualidade feminina
Categoria: Trabalhos publicados em eventos científicos

 

Referência: Rodolico, M. C., Finotelli Jr., I., & Rodrigues Jr, O. M. (2009). Tradução, adaptação e evidências de validade da escala de autoeficácia sexual feminina para o espanhol. Trabalho apresentado no XII Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana. Anais do XII Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana, Foz do Iguaçu, 58-59.


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017