O Psicoterapeuta Ítor Finotelli Jr, é o entrevistado dessa edição no site da Oficina do Estudante. Doutorando pela Universidade São Francisco, o experiente profissional da área de psicoterapia nos falou sobre os motivos que o levaram a optar pela carreira, as áreas de atuação da psicologia, o mercado de trabalho e ainda deu dicas para os interessados em seguir a carreira. Confira a entrevista:
 

Por que a Psicologia despertou seu interesse? Quais das suas características e aptidões foram determinantes na escolha dessa profissão?
A Psicologia despertou meu interesse pelo desenvolvimento humano. Muito interessava a diversidade das pessoas, principalmente no desenvolvimento mental. Sem a necessidade de parâmetros fixos e trajetórias exclusivas. A sensibilidade e a compreensão foram características que impulsionaram a escolha.


Qual exatamente é a função de um psicoterapeuta?
Um psicoterapeuta é um cuidador. Zeloso pelas necessidades e desenvolvimento de um paciente, a função é auxiliar e encontrar maneiras para que um indivíduo alcance estados de bem-estar em seu ambiente. O propósito não é adaptar, muito menos, determinar um certo, mas desenvolver nesse indivíduo seus potenciais e suas metas individuais, certamente, respeitando suas condições.
 

Qual a trajetória acadêmica para se tornar um psicoterapeuta e como é a dinâmica do curso universitário?
Para se tornar um psicoterapeuta a trajetória é a formação em Psicologia. Os passos seguintes são o aprimoramento e a especialização em uma atuação clínica. A dinâmica universitária requer um estudo constante das diferentes teorias a respeito do desenvolvimento humano. Isso requer flexibilidade e abertura para compreender que não existem verdades determinadas, mas formas de interpretação. O empenho e a permanente reflexão auxiliam muito nessa trajetória.
 

Como é o mercado de trabalho para esse profissional e quais as áreas de atuação existentes?
O mercado é extenso, porém muito concorrido. Principalmente devido às diferentes formas terapêuticas de desenvolvimento humano. A atuação psicoterapêutica difere e oferece esse desenvolvimento de maneira científica. Não necessariamente as pessoas buscam e/ou tem condições financeiras para isso. Para a área clínica as demandas são diversas. É possível atuar desde patologias psiquiátricas a indivíduos regulares que buscam sentido de existência. As buscas mais atuais são para dificuldade em lidar com estresse e estados depressivos, problemas conjugais, insatisfação sexual e problemas alimentares.
 


Por que escolher essa carreira? Quais as suas dicas para quem se interessa pela profissão?
Trata-se de uma carreira infinita. No campo da cirurgia, por exemplo, um profissional perde a destreza com a idade e um dia não terá mais condições de operar. Diferentemente de um psicoterapeuta, pois independente da idade, quanto maior o tempo de atuação, melhor será seu desempenho clínico. Além disso, as mudanças são condições permanentes. Tanto dos indivíduos quanto das sociedades. Portanto, atuar na área será na maioria das vezes um desafio. Por outro lado, há necessidade de uma constante atualização e reflexão dos diversos processos cotidianos. As dicas para os interessados: manter a cabeça aberta para as mudanças, gostar de quebrar paradigmas, se interessar pelo desenvolvimento infinito do capital humano, e principalmente, respeitar as individualidades e a diversidade.

Título: Carreira de Psicoterapeuta
Autores: Fábio Leite
Palavras-Chave: psicologia; psicoterapia; psicoterapeuta; desenvolvimento humano; formação; carreira; epsecialização
Categoria: Trabalhos técnicos: Entrevista para Site Oficina do Estudante
Fonte: Oficina do Estudante
 


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017