Não se pode ignorar que enfermidades psiquiátricas produzem graves dificuldades no relacionamento afetivo pessoal. Logo, possuir ferramentas que possam avaliar que deficiências esses indivíduos necessitam de suporte e acompanhamento é possibilitar ajuda nessa relação e restituir a expressão de sua sexualidade, assim com também, a formação de uma família, criação de vínculos sexuais e afetivos seguros e estáveis.  O presente estudo avaliou as propriedades psicométricas do Inventário de Desejo Sexual – IDS2 em pacientes psiquiátricos de um hospital público do município de São Paulo. Inventário de Desejo Sexual (IDS-2) avalia o desejo sexual diádico e solitário. Participaram do estudo 20 homens de idades entre 18 e 57 anos, 80% solteiros. Todos possuíam diagnóstico psiquiátrico pelo DSM-IV. Os resultados apresentaram o coeficiente de 0,83 para a consistência interna da escala total por alfa de Cronbach. Todos os itens correlacionaram positivamente entre moderado e forte com os escores: total, diádico e solitário. A associação entre os escores diádico e solitário permaneceu em moderada positiva (0,36). A média do escore total das respostas dos sujeitos foi 55,85. Os escores do desejo diádico ficaram em 45,05 e desejo solitário em 10,80. O bom índice de consistência interna forneceu credibilidade quanto sua precisão, esse resultado é observado também nas estruturas diádica e solitário. Observou-se a validade quanto ao construto, corroborando com a multidimensionalidade. A média dos escores dos sujeitos revelou-se média e alta para pacientes cujo estado predominante é maníaco e muito baixo para pacientes cujo estado é depressivo. Os resultados obtidos são favoráveis ao uso da escala em pacientes psiquiátricos. A proposta do IDS-2 não é quantificar desejo sexual como diagnóstico, mas qualificar, uma vez que a expressão do desejo é variável e sujeita a condições afetivas e emocionais. A variação observada nas médias entre os diagnósticos revela evidências de validade discriminante na medida em que indivíduos em condições depressivas são descritos pela literatura como indivíduos sem expressão e/ou motivação sexual.

 

Título: O uso do Inventário de Desejo Sexual (IDS-2) em pacientes psiquiátricos

Autores: Sílvia Camejo; Ítor Finotelli Jr.; Oswaldo Martins Rodrigues Jr
Palavras-Chave: inventário desejo sexual; desejo solitário; desejo diádico; desejo sexual; pacientes psiquiátricos
Categoria: Trabalhos publicados em eventos científicos

 

Referência: Camejo, S., Finotelli Jr., I., & Rodrigues Jr., O. M. (2009). O uso do Inventário de Desejo Sexual (IDS-2) em pacientes psiquiátricos. Trabalho apresentado no XII Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana. Anais do XII Congresso Brasileiro de Sexualidade Humana, Foz do Iguaçu, 56-57.


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017