A Escala de Satisfação Sexual para Mulheres (SSS-W), desenvolvida por Meston e Trapnell (2005), compreende um inventário composto por 30 itens distribuídos em cinco domínios distintos, dois relacionais e três pessoais, a saber: comunicação (discussão de questões sexuais e emocionais), compatibilidade (conformidade entre os parceiros relacionada às crenças sexuais, preferências, desejos e atração), contentamento (satisfação no que diz respeito aos aspectos sexuais e emocionais do relacionamento), interesse na relação e interesse pessoal. A presente pesquisa pretende apresentar os dados de um estudo piloto realizado junto a uma amostra clínica de mulheres que não apresentava queixa sexual. Tal amostra foi composta por 20 mulheres que passam por processo de psicoterapia em clínica particular, com média de idade de 33 anos (DP = 7,42; Idade mín.= 24 anos; máx. = 48 anos), das quais 80% possuí nível superior completo. No tocante à escolha de parceria sexual cerca de 95% afirmaram preferir homens e 5% mulheres, as quais 40% convivem com alguém, 20% namoram e 40% estão sem relacionamento atual. Para a análise estatística dos dados foi utilizada a descrição do escore total dos sujeitos e coeficiente α Cronbach para análise da consistência interna. Os resultados encontrados demonstram que a média dos escores dos sujeitos foi de 99,55 (DP=20,33; α Cronbach=0,91), sendo escore mínimo de 63 e máximo de 123. Ao considerarmos os escores por domínios foram encontrados: contentamento 17,15 (DP=6,23; α Cronbach=0,91); comunicação 20,55 (DP=5,00; α Cronbach=0,79); compatibilidade 18,50 (DP=4,83; α Cronbach=0,85); preocupação relacional 19,95 (DP=5,56; α Cronbach=0,87); preocupação pessoal 23,40 (DP=5,57; α Cronbach=0,91). Portanto, podemos considerar que os índices de α Cronbach encontrados tanto para a escala total, quanto para os domínios, revelam a adequada consistência interna do instrumento em questão, apontando para a validade de sua utilização com ferramenta de avaliação da satisfação sexual de pacientes clínicas. Entendemos que a utilização do SSS-W na avaliação psicológica da paciente atendida em psicoterapia pode auxiliar o psicólogo na abordagem das questões relacionadas à vivência da sexualidade, muitas vezes negligenciadas durante o processo terapêutico. Cabe salientar ainda o caráter exploratório do presente estudo e a necessidade da realização da pesquisa de validação do instrumento abordando uma amostra de maior abrangência.

 

Título:  Escala de Satisfação Sexual para Mulheres: estudo piloto com amostra clínica

Autores: Elaine Cristina Catão; Ítor Finotelli Jr.; Fernanda Robert de Carvalho Santos Silva; Oswaldo Martins Rodrigues Jr.; Diego Henrique Viviani
Palavras-Chave: satisfação sexual; mulheres; psicoterapia; relacionamento sexual; sexualidade feminina

Categoria: Trabalhos publicados em eventos científicos
 

 

Referência: Catão, E. C., Finotelli Jr., I., Silva, F. R. C. S., Rodrigues Jr., O. M., & Viviani, D. H. (2008). Escala de Satisfação Sexual para Mulheres: estudo piloto com amostra clínica. Trabalho apresentado no IX Congreso Sul-Brasileiro de Urologia. Revista Terapia Sexual, Porto Alegre, 119-120.


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017