Estudos que investigam a função sexual em atletas de alta performance demonstram uma redução do desejo sexual. Essa perda de interesse é provocada por diferentes fatores, sendo os mais comuns, o excesso de exercício, a indisponibilidade de tempo, e alterações de níveis hormonais. O presente estudo relata o caso de Maria, 23 anos, competidora de atletismo na categoria adulta, solteira (namorando) e sem filhos, encaminhada pelo ginecologista com diagnóstico de ausência ou perda do desejo sexual (CID-F52), sem quaisquer fatores fisiológicos relacionados. Maria foi atendida em uma clínica particular de psicologia e terapia sexual. A autorização da publicação do caso foi dada ao final dos atendimentos, com os cumprimentos dos critérios éticos exigidos em pesquisa. Duas sessões iniciais foram realizadas para avaliação psicológica, além da entrevista e análise funcional, foram aplicados instrumentos psicológicos e sexuais para avaliação de sintomas. O resultado dessa avaliação indicou sintomas de ansiedade e vulnerabilidade, ausência de desejo sexual, baixa autoeficácia sexual, além de problemas no relacionamento afetivo/sexual. A proposta psicoterapêutica, organizada em conjunto com a paciente, baseou-se nos objetivos: 1) desenvolver o autoconhecimento pela auto-observação em vivências da terapia sexual; 2) aprimorar a discriminação de estímulos sexuais por fontes abstratas (pensamentos, vontades, desejos) e concretas (cinco sentidos); 3) desenvolver comportamentos frente à estímulos aversivos (cansaço, agenda, cobranças); 4) reforçar e estabelecer comportamentos de intimidade sexual ocorridos com parceiro; 5) aumentar a frequência de comportamentos sexuais solitários. Ao final de 33 sessões psicoterapêuticas, progressos para aumento do desejo sexual foram observados pela discriminação das sensações corporais da percepção muscular; aumento de comportamentos sexuais solitários; redução de fuga/esquiva em situações de intimidade sexual com parceiro; diminuição dos sintomas de ansiedade, principalmente relacionados com antecipação ao fracasso; e aumento de comportamentos assertivos para lidar com situações de falta de desejo. A conclusão do estudo de caso reforça o atendimento específico em terapia sexual para atletas com dificuldades relacionadas à função sexual, como a ausência ou perda do desejo sexual. 

 

Título: Terapia sexual com atleta de performance: estudo de caso

Autores: Ítor Finotelli Jr.

Palavras-Chave: estudo de caso único, sexualidade feminina, psicoterapia sexual, desejo sexual, atleta de alto-rendimento

Categoria: Trabalhos publicados em eventos científicos

 

Referência: Finotelli Jr., I. (2013). Terapia sexual com atleta de performance: estudo de caso. Trabalho apresentado no XV Congresso Brasileiro e VII Congresso Internacional de Psicologia do Esporte e do Exercício. Associação Brasileira de Psicologia do Esporte, Atividade Física e Exercício, Florianópolis, 118-119.


Psicoterapia Sexual® por Dinamicsite 2011 - 2017